Liberado R$ 1.860 para NOVOS INSCRITOS no CadÚnico com RG final 0, 2, 4, 5, 6, e 9; confira como receber

Para acessar os programas sociais do governo federal, como Bolsa Família, Auxílio Gás e Pé-de-Meia, é fundamental se cadastrar no Cadastro Único (CadÚnico). Essa plataforma serve como entrada para diversos auxílios destinados a famílias vulneráveis no Brasil.

Nova DECISÃO de Lula entra em vigor hoje (05/03) para alterar o CadÚnico (Cadastro Único) e impactará CPFs com final 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e 0

Vamos explorar detalhadamente como aproveitar essa oportunidade e garantir o acesso aos benefícios que podem totalizar até R$ 1.860,00 em um período de 60 dias.

Entendendo o CadÚnico

O Cadastro Único é a principal ferramenta do governo federal para identificar e caracterizar famílias de baixa renda no Brasil. É através deste cadastro que as famílias podem acessar uma variedade de programas sociais, incluindo o conhecido Bolsa Família, que oferece suporte financeiro mensal a milhões de brasileiros.

Qualquer cidadão brasileiro, independentemente da localidade de residência, pode se cadastrar no CadÚnico. No entanto, para se qualificar para os benefícios, é necessário cumprir critérios específicos relacionados à situação socioeconômica da família.

Onde realizar a inscrição?

-

A inscrição no Cadastro Único é realizada diretamente nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) de cada município. Para encontrar o CRAS mais próximo, é possível contatar a prefeitura local ou consultar o site do Ministério da Cidadania.

Durante o processo de inscrição, é fundamental apresentar documentos que comprovem a renda familiar e a situação de vulnerabilidade social. Entre os documentos geralmente requeridos estão:

  • Documentos pessoais com foto, como RG e CPF;
  • Comprovante de residência atualizado;
  • Certidões de nascimento ou casamento para menores de idade.

Adicionalmente, é necessário demonstrar que a renda familiar per capita não excede R$ 218,00.

-

Auxílios do Governo

  1. Bolsa Família: Programa que oferece auxílio financeiro mensal para famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza, condicionado ao cumprimento de obrigações nas áreas de educação e saúde.
  2. Auxílio Emergencial: Benefício temporário criado em resposta à pandemia de COVID-19 para trabalhadores informais, microempreendedores individuais (MEIs), autônomos e desempregados.
  3. Auxílio Gás: Subsídio financeiro destinado a auxiliar famílias de baixa renda a adquirir botijões de gás de cozinha.
  4. Pé-de-Meia: Programa de transferência de renda complementar ao Bolsa Família, com objetivo de aumentar o poder de compra das famílias beneficiárias.
  5. Abono Salarial do PIS/Pasep: Benefício pago anualmente a trabalhadores que atendem a critérios específicos, como ter trabalhado com carteira assinada por pelo menos 30 dias no ano-base e ter renda mensal média de até dois salários mínimos.
  6. Seguro-Desemprego: Benefício temporário pago aos trabalhadores dispensados sem justa causa, com o objetivo de prover assistência financeira temporária enquanto procuram emprego.
  7. Programa Minha Casa, Minha Vida: Oferece subsídios para aquisição da casa própria ou financiamentos facilitados para famílias de baixa renda.

Esses são alguns exemplos de auxílios disponíveis, cada um com critérios específicos de elegibilidade e finalidades distintas, contribuindo para reduzir desigualdades e promover a inclusão social no Brasil.

-

Quem pode se cadastrar no Cadastro Único?

Qualquer família brasileira com renda mensal per capita de até meio salário mínimo, atualmente R$ 1.412, pode realizar gratuitamente o cadastro no Cadastro Único (CadÚnico). Este procedimento destina-se a identificar e caracterizar famílias de baixa renda para acesso a programas sociais. Famílias com renda superior a este limite também podem se cadastrar para participar de programas específicos.

O cadastro é realizado de forma familiar, envolvendo a inscrição da unidade familiar como um todo. O responsável familiar, que deve ter pelo menos 16 anos, é o responsável por comparecer ao posto de atendimento e fornecer os documentos necessários.

Como fazer o pré-cadastro no Cadastro Único?

Para facilitar o processo de cadastro, é viável realizar um pré-cadastro online pelo site Gov.br ou pelo aplicativo Cadastro Único. Durante esta fase, o responsável familiar deve fornecer informações de endereço, contatos e dados de todos os membros da família.

Após a conclusão do pré-cadastro, o responsável tem até 240 dias para comparecer a um posto de atendimento do CadÚnico em seu município e finalizar o processo. Durante esta visita, será necessário apresentar os documentos de identificação de todos os membros da família.

Vitória Tormen

Natural de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, sou uma profissional comprometida com o desenvolvimento de conteúdos e a criação de posts otimizados para o Google News e Discover. Possuo uma vasta experiência em SEO técnico e SEO de conteúdo, garantindo que o material… Mais »